domingo, 22 de novembro de 2015

Castanha Mineira


Anisosperma passiflora, Curcubitacea brasileira

Parte da planta: Semente ou castanha, que dá também um óleo amargo sebáceo ou resinoso, fortemente estomáquico, drástico ou emético, segundo a quantidade em que é ingerido.

Propriedades terapêuticas: Tonico amargo laxativo e anti dispéptico. Empregado na inapetência, más digestão, dispepsias gastro-enterites. Em dose elevada atua como laxativo e cholagogo.
Curcubitacea brasileira

Segundo o Dr. J. R. Monteiro da Silva a castanha Mineira é para evitar desarranjos gástricos, a medicina popular descobriu um cipó, que dá uma castanha, cheia de amêndoas. É tão conhecido o seu efeito sobre as dispepsias que os viajantes levam consigo uma ou mais sementes, que tomam raspando um pouco em meia chicara de água fervendo ou na aguardente, logo que começam a sentir qualquer novidade no estomago. As amêndoas contem uma substância oleaginosa muito amarga, empregada com resultado esplendido na icterícia, constipação do ventre e atonia gastro-intestinal. A substância em questão é tão ativa que combate até azia.
Tem também ação salutar nos ingurgitamentos do fígado e muitos equiparam o seu efeito sobre essa víscera ao dos calomelanos. E tem-se observado que com o seu uso o volume do fígado diminui e os doentes deixam de sentir dores e peso sobre esse órgão. Nas flatulências tem uma ação especial auxiliando as digestões; evita as fermentações e, por conseguinte, a formação de gazes. A melhor forma de se usar a castanha mineira é em tintura e extratos.

Pode-se usar uma colherinha de tintura ou 20 gotas de extrato fluido, em um cálice de água ou de vinho, antes das refeições. Esta dose favorece a digestão, combate a inercia do intestino, produzindo um pequeno desembaraço de ventre, tão necessário aos que sofrem atonia intestinal. “Como purgativo nas moléstias do fígado, emprega-se a dose de 10 a 20grs de tintura ou 2 a 4grs de extrato fluido. Quem sofrer de dispepsia gastro intestinal, sobretudo de atonia, que traz peso no estomago, sonolência, as vezes tonteiras e nervosismo, basta usar 10 a 20 gotas de tintura ou 2 gotas de extrato fluído, em um pouco de água, logo que sentir qualquer perturbação gástrica que ficará imediatamente aliviado.

Posologia: 5 a 10 gotas por dia como antidispeptico;
                   1 a 20 gotas como laxativo e colagogo
                    2 a 4 grs como purgativo.

Preparações oficinais: Extrato fluído, tintura


Bibliografia; Catálogo de Extratos Fluídos dos Laboratórios Silva Araujo -Rio de janeiro - 1930

Nenhum comentário:

Postar um comentário